Repense


Disponível no:

Produção: Clarice Laus

Fotografia: Rodrigo Braga

Roteiro: Raphael Erichsen, Tarso Araujo

Edição: Tiago Berbare

Empresa(s) produtora(s): 3FilmGroup.tv

Câmera: Rodrigo Braga

Produção Executiva: Clarice Laus, Raphael Erichsen, Tarso Araujo

Pesquisa: Tarso Araujo

Mixagem: Tiago Berbare

Câmera Adicional: Raphael Erichsen

De um lado, uma menina de 5 anos com uma forma rara, grave e sem cura de epilepsia. Do outro, uma substância proibida que acaba com as convulsões da criança. Entre as duas, a luta de uma mãe para garantir à sua filha o direito à saúde. O drama de Katiele Fischer, mãe da pequena Anny, é o fio condutor deste filme sobre a cannabis medicinal. Ele mostra como vivem e o que fazem as pessoas que, como esta mãe, estão dispostas a lutar contra o preconceito, o moralismo, a burocracia, o medo e principalmente o tempo para melhorar a qualidade de vida deles mesmos ou das pessoas que amam. Com relatos de médicos, pacientes, políticos e cientistas, o filme traça os pequenos avanços que foram feitos no decorrer de alguns meses, porém também a triste realidade de grande parte dessas famílias: os pacientes tem pressa e o sistema é - dolorosamente - lento.
Envie o seu comentário
Faça login ou se cadastre para comentar a obra.
Carregar mais comentários
Envie o seu comentário
Após aprovação, seu comentário será publicado e enviado para o diretor do filme. | Normas para publicação

Relatos de Professores (0)
Utilizou este filme em suas aulas? Relate sua experiência!
20 min
2019
Brasil
SP
14 ANOS

Diretor: Raphael Erichsen, Tarso Araujo

Elenco: Anny fischer, Camila Guedes, Juliana Paolineli, Katiele Fischer, Norberto Fischer, Thaí­s Carvalho

Sinopse: De um lado, uma menina de 5 anos com uma forma rara, grave e sem cura de epilepsia. Do outro, uma substância proibida que acaba com as convulsões da criança. Entre as duas, a luta de uma mãe para garantir à sua filha o direito à saúde. O drama de Katiele Fischer, mãe da pequena Anny, é o fio condutor deste filme sobre a cannabis medicinal. Ele mostra como vivem e o que fazem as pessoas que, como esta mãe, estão dispostas a lutar contra o preconceito, o moralismo, a burocracia, o medo e principalmente o tempo para melhorar a qualidade de vida deles mesmos ou das pessoas que amam. Com relatos de médicos, pacientes, políticos e cientistas, o filme traça os pequenos avanços que foram feitos no decorrer de alguns meses, porém também a triste realidade de grande parte dessas famílias: os pacientes tem pressa e o sistema é - dolorosamente - lento.

Alugue