Mariana Enriquez


Disponível no:

Roteiro: Anna Carolina Francisco

Som Direto: Santiago Mercurio

Trilha Sonora Original: José Miguel Wisnik

Empresa(s) produtora(s): Pacto Filmes

Assistente de Câmera: Esteban Velazco

Pesquisa: Anna Carolina Francisco

Mixagem: Pedro Noizyman

Design Gráfico: Carla Sarmento

Empresa Produtora: Pacto Filmes

Produtor Executivo: Malu Campos, Marí­a Salceda, Valeria Montes

Diretor de Fotografia: Jacob Solitrenick

Editor: Danilo Do Valle

Diretora de Produção: Angélica Moura

Aos 9 anos, ela aprendeu sobre o terror lendo notas de revistas: desaparecimentos, sequestros de crianças e torturas praticados pela ditadura argentina. Na juventude, vive o horror de uma vida sem perspectivas num subúrbio de um país quebrado economicamente. Escritora e jornalista, Mariana Enriquez se notabiliza por divertir-se com a morte, a crueldade e a violência. Pensar a natureza do mal é uma mera trivialidade da vida. Sua literatura é um caso de amor com o terror. Escreve sem receios. Seu compromisso, diz, é com a linguagem e não com o real. Traz às costas o fantasma de Silvina Ocampo, sobre quem escreveu um ensaio biográfico. No fundo, Enriquez é um amor de pessoa.
Envie o seu comentário
Faça login ou se cadastre para comentar a obra.
Carregar mais comentários
Envie o seu comentário
Após aprovação, seu comentário será publicado e enviado para o diretor do filme. | Normas para publicação

Relatos de Professores



Utilizou este filme em suas aulas? Relate sua experiência!


Relatos de Professores (0)

Testes de Conhecimentos


Você é Educador? Crie o primeiro teste de conhecimentos para este filme! Criar Teste

52 min
2021
Brasil
PE
LIVRE

Séries: Lobo do Lobo e a Literatura Latino-Americana | 5 Episódios de 52 Minutos

Diretor: Daniel Augusto

Elenco: Cristian AlarcónMariana Enriquez

Sinopse: Aos 9 anos, ela aprendeu sobre o terror lendo notas de revistas: desaparecimentos, sequestros de crianças e torturas praticados pela ditadura argentina. Na juventude, vive o horror de uma vida sem perspectivas num subúrbio de um país quebrado economicamente. Escritora e jornalista, Mariana Enriquez se notabiliza por divertir-se com a morte, a crueldade e a violência. Pensar a natureza do mal é uma mera trivialidade da vida. Sua literatura é um caso de amor com o terror. Escreve sem receios. Seu compromisso, diz, é com a linguagem e não com o real. Traz às costas o fantasma de Silvina Ocampo, sobre quem escreveu um ensaio biográfico. No fundo, Enriquez é um amor de pessoa.

Alugue