De Volta a Basquiat



Produção: Anaí¯s Feuillette, Carole Chassaing

Fotografia: Andres Peyrot, Andrew Shemin

Roteiro: Pierre-Paul Puljiz

Som Direto: Damien Perrollaz, David I Rosenberg, Marc Parazon

Direção de Arte: Alexis Thual

Animação: Carlos Rivero

Empresa(s) produtora(s): Maripol, Tamara Films

Narração: James Noí«l

Figurino: Vincent Vallon

Assistente de Produção: Côme Chobert-Passot, Romane Edinger

Pesquisa: Jennifer Richard

Mixagem: Clément Chassaing

Consultoria: Annie Maurette

Montagem: Andres Peyrot

Trilha Sonora: Clément Chassaing

Coordenação de Produção: Lola Adamo

Assistente de montagem: Didier Furlan D’Abreu

Correção de Cor: Eric Salleron

Logger: Théo Cohen-Skalli

Coordenação de Roteiro: Arthur Dreyfus

Engenheiro de Som: Eric Rey

Estagiários: Johan Gayraud

Vozes: Anne-Sophie Nallino, Christophe Seugnet, François Cognard, Frédéric Popovic, Raphaí«l Cohen

A vida e a obra do artista nova-iorquino Jean-Michel Basquiat foram marcadas por uma longa busca de identidade, por suas origens familiares haitianas e porto-riquenhas e por uma viagem de redescoberta à África. Retratar este grande pintor do século 20, que morreu em 1988 com apenas 27 anos, é também evocar o lugar dos artistas negros americanos na América conservadora e racista dos anos Reagan.
Envie o seu comentário
Faça login ou se cadastre para comentar a obra.
Carregar mais comentários
Envie o seu comentário
Após aprovação, seu comentário será publicado e enviado para o diretor do filme. | Normas para publicação

Relatos de Professores



Utilizou este filme em suas aulas?
Relate sua experiência!

Relatos de Professores (0)

Testes de Conhecimentos


Você é Educador?
Crie o primeiro teste de conhecimentos para este filme!
Criar Teste

52 min
2022
França
AL

Diretor: Pierre-Paul Puljiz

Sinopse: A vida e a obra do artista nova-iorquino Jean-Michel Basquiat foram marcadas por uma longa busca de identidade, por suas origens familiares haitianas e porto-riquenhas e por uma viagem de redescoberta à África. Retratar este grande pintor do século 20, que morreu em 1988 com apenas 27 anos, é também evocar o lugar dos artistas negros americanos na América conservadora e racista dos anos Reagan.

Alugue